O site da Coisas de Vó utiliza cookies. Saiba mais sobre nossas Políticas de Cookies clicando aqui. Ao navegar você concorda com a sua utilização.
Saiba mais sobre os cookies em nossa Advertência Jurídica e Políticas de Privacidade

Como comer de tudo sem engordar! Saiba como.

Como comer de tudo sem engordar! Saiba  como.

Passar fome e abandonar completamente o consumo de seus alimentos preferidos não são medidas consideradas adequadas para perder e manter o peso. Além de não ser um hábito sustentável a longo prazo, a atitude pode provocar grande ansiedade e estresse que, definitivamente, vão comprometer a dieta e o bem-estar emocional.

Como comer de tudo sem engordar

Mas o que fazer para comer tudo o que se tem vontade sem engordar? Uma regra simples pode ser crucial para evitar que a dieta se transforme em algo monótono e até mesmo triste. O “segredo” seria combinar um alimento tentador (normalmente calórico) com algo saudável.

PAVEL BOBROVSKIY / SHUTTERSTOCK

Quando você combina uma opção saudável com uma “gordice”, consegue estabelecer o equilíbrio em uma refeição prazerosa com menos chances de cometer exageros, pois a alternativa mais leve pode ajudar na saciedade, especialmente se for rica em fibras.

Uma pequena porção de carboidrato simples, por exemplo, com uma proteína magra, uma gordura boa ou legumes e vegetais pode se transformar em um prato que não prejudica a dieta e não compromete o bem-estar e o prazer de ingerir algo que se tem vontade.

Combinações que não comprometem a dieta

A ideia é nunca restringir determinado alimento ao ponto que ele se transforme em algo “proibido”, o que aumenta ainda mais a vontade, a fissura e a necessidade de comer sempre mais, detonando assim a dieta. Confira exemplos de combinações que podem fazer parte do cardápio para perder peso sem passar vontades:

  • Melão coberto com chocolate amargo

  • Hambúrguer de patinho com porção de salada

  • Bife à parmegiana com legumes preparados no vapor

  • Salada de frutas polvilhadas com biscoito

  • Pedaço de pizza coberto de vegetais

NATA_VKUSIDEY / ISTOCK

É preciso ter em mente, no entanto, que algumas guloseimas são melhores do que outras. O ideal é que mesmo a “gordice” seja algo mais próximo de uma comida de verdade, ou seja, que a opção seja a mais natural e minimamente processada e industrializada possível.

Além disso, é importante lembrar que as guloseimas não devem nunca ser as principais fontes de calorias ou combustível na dieta. O chocolate, o biscoito, a porção de fritura, por exemplo, devem estar presentes no cardápio apenas como complemento, “algo extra” da refeição, e não como protagonista de um prato.

fonte-ttps://www.vix.com/

 

Envie seu comentário